Encruzilhada

Facebooktwittergoogle_pluslinkedinrssyoutube

Daí que ela tinha apenas 21 anos.
Uma fome de mundo, de liberdade.
De posse do seu diploma, ela tocou o foda-se pra família, pro conforto , pra casa e foi viver um amor transgressor: ele era tudo o que sua mãe não queria, 20 anos mais velho, vindo de dois casamentos…
Mas quando a gente é jovem tem o mundo nas mãos, se acha o ser que vai modificar os fatos.
E desde então, ela viveu este êxtase por 6 meses, sem dar notícias, sem ninguém saber seu paradeiro.
Uma vida liberta , ela era uma mulher dona de seu destino.

Mas…
A vida cobra seu preço,e as contas logo começaram a chegar, o grande amor de sua vida tinha dívidas, dependia ainda
da mamãe, para pagar pensão devida e quando ela se deu conta, estava sustentando a família toda que viu nisso, uma oportunidade ímpar e tratou de seduzi-la .
E é claro que a esta altura , ela já tinha dúvidas e mesmo assim , em uma última atitude de desafio à sua mãe,
ela acabou casando-se, grávida aos 22 anos!

E a mãe, só soube pela família do então marido , no dia do parto do bebe!

E assim ela foi vivendo e a mãe, inconformada, a deixou com o peso de sua decisão.

Até que , depois de muito tempo ela procurou -a com um, ” é mãe, tá feito, mas não aguento mais aquela pocilga!”

Mais uma vez, a mãe passou por cima dos fatos e alojou a garota no apartamento comprado para ela, para um casamento feito dentro de uma normalidade, quando ela encontrasse um amor sereno, como acontece com a maioria das moças..

O final desta história pessoas, eu não sei ainda…

Acompanho diariamente o destempero de uma moça, com apenas 24 anos, que é extremamente, intolerante, grita todo o tempo com tudo: com a filha, com o marido, com as panelas,com a vida: vida que ela mesma escolheu.

Não tem equilíbrio , o bebê hoje com apenas dois anos, sente o despreparo da jovem mãe e grita.
Grita à plenos pulmões.
Disputa palmo a palmo com ela , atenção, território.
E o bebe está crescendo.
Sem a afetividade, o amor necessário às descobertas…
Sem aquela graça que a gente acha, quando eles começam a se alimentar sozinhos, derrubando tudo, experimentando os limites que se lhe descortinam a frente: tudo é novo, é tão legal ver a comida caindo da colher no chão…

É uma história triste, hoje este bebe chorou tanto, que o pai, tão desequilibrado quanto a mãe, tomou o bebe nos braços abriu a porta e saiu com ele que soluçava compulsivamente.

Pobres pessoas presas a uma armadilha, sem saber como se libertar dela.

De minha parte, à custo controlei-me para não chamar a Polícia pra aquela mãe descontrolada que chamava o bebe de filha da puta, desgraçada entre outras coisas.

Um bebe de dois anos apenas…

The following two tabs change content below.

Ma

Nascida para brilhar. Meu signo é do fogo, Ariana sem restrições e uso a palavra como açoite. E sai da frente, senão empurro!

Latest posts by Ma (see all)

12 comments

  1. Uma mãe dessa nem merecia ser chamada de mãe. O pai então nem se fala. Nessas horas vc morre de dó da criança q não pediu pra nascer e agora q nasceu não tem uma familia estruturada que lhe dê carinho, amor, companheirismo, apoio, segurança. Lamentável Ma.

  2. Comigo não vai acontecer…está é a ideía que todo o jovem tem. Que pode fazer o que quizer, que nada pode atingi-lo, que é um super ser, e que conquistará o mundo de qualquer jeito. Seguidamente a vida mostra que não é assim. Que existem regras, tempos, movimentos, seguencias a serem seguidas, costumes a respeitar, e que a vida….não se vive sozinha. Temos avós, pais, parentes, amigos e amigas, mas alguns resolvem que não querem ouvir conselhos, que eles são únicos e que pra eles tudo será….diferente. E geralmente acaba sendo…bem diferente…e um dia…sei lá, o tempo passou, e as coisas, sei lá, não estão como deveriam estar…mas aí coisas já foram feitas, tem mais gente no pedaço, voltar atrás é complicado, a vida virou uma merda, a felicidade escorreu pelos dedos, e sei lá, temos alguém amargo, que acha que foi sacaneado pela vida, que tá tudo errado – e tá mesmo, né – mas até se descobrir que nós buscamos isso…sei lá….eu já cansei. Querem assim? que seja então…mas me esquece tá…

  3. Ai que dor no coração por essa criança que não tem culpa de nada…
    Demonstrou tudo tão bem…escreveu tão clara e fortemente que pude quase sentir o desespero e ouvir os berros, pena n ser uma coisa boa e sim uma situação triste e tão comumente observada…
    Beijos saltitantes
    Bom fim de semana

    1. As crianças testam mesmo os limites dos pais, é natural, tudo uando se está preparada para a maternidade, estes fatos, a gente tira de letra. Ser mãe nova, tem estas desvantagens: equanto as amigas estão agitandando por aí, elas estão presas à uma vida adulta – à imagem e semelhança de suas mães e isto , aos 24 anos, creia, não é legal!

  4. Acho que a idade nem é culpada disso. Eu sou nova, aos 23 também arrumei minhas coisas e fui morar com outra pessoa em outro estado – com aprovação dos meus pais, tudo bem – engravidei, perdi o bebê e não me transformei nesse monstro.
    Acho que isso já nasce com a pessoa… determinadas pessoas deveriam nascer sem aparelho reprodutor. Ou sei lá, que costurassem as coisas. Alguns possuem a vida de comercial de margarina, namoraram durante anos, casaram em igreja e etc, planejaram gravidez mas depois, com o bebê, que perceberam que ser mãe é muito mais que colocar filho no mundo. Gritam e batem nos filhos pra descontar a raiva que possuem do mundo, mesmo sem motivo.
    É triste isso…

    1. Sabe Tah, não se pode generalizar realmente, mas a experiência tem mostrado uma história q se repete, milhares de vezes. Mulheres como vc, Como a Dani, são dificeis de se achar. Mesmo!
      E quanto ao bebe, dá um aperto sem fim no coração!

  5. e eu fico pensando.. o q vai ser dessa criança? como vai ser sua auto estima? suas chances de se tornar um adulto problemático é proporcional as dificuldades encontradas na infância..

    1. Infelizmente, as pessoas esquecem que bebes não tem noção do certo ou errado. O que é experimentar para eles, causa transtorno e algumas mães, não sabem lidar com isso, quer pelo despreparo, quer pela vida estressante cotidiana.
      É dificil?
      Sim , é, mas eles são apenas bebes aprendendo a serem independentes.
      E nós adultos ,aprendendo a ser pais.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *