Welcome to Neverland!

Facebooktwittergoogle_pluslinkedinrssyoutube

Você nasce mulher. Como toda mulher, é ensinada e condicionada a aprender a cozinhar, a ser a rainha do lar, a casar, ter filhos e ser boa mãe. Mas, ninguém fala nunca da parte “ser mulher”. Ninguém nunca diz que você vai se apaixonar perdidamente por um homem, vai se entregar a ele, querer ser feliz com ele e não vai dar certo. Ninguém nunca diz que você vai casar, ser feliz por um tempo e depois ele vai simplesmente enjoar de ter você por perto.

O que você sabe é que a “sociedade masculina moderna” é bem complicada. E eles ainda têm o topete de dizer que nós, mulheres, que somos pessoas complicadas! Nós não somos. Nós não somos as indecisas da parada. Nós sabemos muito bem o que queremos, e não apontamos para o primeiro homem que passa nas nossas frentes e saímos abrindo as pernas, if you know what I mean.

Eles que são os indecisos. Eles que são perfeitos no começo. Eles que ligam após o sexo, eles que pagam a conta do motel, eles que te dão dinheiro depois do motel para um táxi caso eles não possam ir com você, eles que te levam para beber ao invés de sair com um amigo pelo simples prazer de estar na sua companhia e não dos amigos. E, é claro, eles te deixam bem claro que estão ali com você por isso. É o amigo perfeito, aquele que você sempre sonhou pra ser seu namorado!

Mas, claro, nem tudo são flores. Do namorado e amigo perfeito, ele de repente some. E, óbvio, você estranha. Você procura ter noticias da maneira mais direta. Vai lá no whatsapp pra dizer um simples “oi”. E, claro, aparece a foto dele com a namorada. “Oi? Namorada? Como assim? Ele estava comigo há uns 3 dias atrás, e agora ele está namorando?”. Você some, você bloqueia qualquer jeito de ele te dar noticias, você “se livra” daquele “karma”. De repente, ele reaparece. Vocês conversam, falam de tudo que não aconteceu, demonstram sentir saudade um do outro e combinam uma saída. Nada acontece e você se preocupa: Onde está aquele que tinha tudo para ser o pai dos meus filhos? (Isso, quando você antes sequer pensaria em ter filhos com alguém.).

Vocês começam a trocar mensagens mais picantes, a coisa começa a tomar outra conotação e você começa a se empolgar. Mas, claro, o sentimento inexiste. Ele vira o que a mulherada chama de PA por aí. O que é? Pau amigo. Aquele com quem você vai transar, aquele que vai te satisfazer, mas que vai parar por ali. E você se pergunta (quantas perguntas, meu Deus!): Como o cara que era perfeito pra ser o pai dos meus filhos agora quer apenas satisfazer as minhas (aliás, não, as dele) vontades, virar pro lado e roncar feito um porco?!

Às vezes é complicado ser mulher. Às vezes é complicado se apaixonar. Quisera eu que a “Sociedade Feminina Moderna” ainda considerasse os padrões descritos lá em cima! Quisera eu que para cada homem existisse uma mulher, e pra cada mulher existisse um homem “decente”. Quisera eu que não existissem mais PAs, e que os maridos fossem presentes, impedindo que mulheres bonitas e inteligentes fiquem se “doendo” por aí.

Mas, né… Infelizmente nem tudo é como a gente quer.

The following two tabs change content below.
Sim ou não, dia ou noite , claro ou escuro… Sou Libra de raiz, sou forte e sou fraca quando quero… E quero o mundo! Quase virando balzquiana, sem nenhum medo de envelhecer. Falar de mim mesma é exatamente o que me mantém presa à internet… Isso aqui é meu porto seguro! Engraçada na medida certa, sensível, leal, apreciadora de literatura, inglês, cinema. Louca por series americanas e chopp gelado… Minha língua é terrível quando eu quero. Mas,é claro, isso é só um detalhe.

Latest posts by Dani Antunes (see all)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *