Sexta-feira é Dia de Guerra…dos Sexos!

Facebooktwittergoogle_pluslinkedinrssyoutube
Comigo é assim: Blog Novo, Vida Nova, Assuntos Novos…

Sou a mesma mulher, a mesma Pitanga – amante dos diversos tons de vermelho, admiradora das graças e desgraças que me pertecem. Mas aqui no “Mulheres à La Carte” me assumo, além de feminina, forte. E, como tal, enfrento “de frente” (porque é assim que deve ser) tudo o que me cerca e, por vezes, me confunde.


E a pergunta que não quer calar: O que me cerca?
(…) uma terrível (mas deliciosa) e improgramável guerra – dos sexos! Guerra entre os iguais, tão diferentes, mas incrivelmente complementáveis entre si.
Do que estou falando?
Do diálogo nosso de cada dia (e da falta dele também).
Bom, é sabido que as mulheres falam cerca de 25 mil palavras por dia, enquanto que os homens falam apenas 15 mil (“tadinhos”, tão caladinhos).

Então, somando-se a “tagarelice” de um casal, temos algo em torno de 40 mil vocábulos trocados em menos de 24 horas e, mesmo assim, muitos desentendimentos por falta de diálogo, certo? Ahn?

Oh, vida cruel??!
Que nada…larga de drama!
Vida cruel é ter de continuar lendo livrinhos do gênero “Homens são de Marte, Mulheres são de Vênus”, com um sorrisinho manso e conformado estampado na big-cara. E não adianta vir tentar me convencer de que o tal livro (célebre que só) vendeu mais de quinze milhões de exemplares e blá blá blá… porque continuo pensando que se trata de um tratadinho simples (ON…e “basicão”…OFF) que vendeu tanto simplesmente porque tem um título (e uma capa) atraente para pessoas que vivem conflitos e mais conflitos a dois (ou seja, todos nós).

Simples assim.

Oooooooooooooooooooooooooooó!
Repitam a onomatopéia, por favor: oooooooooooooooooooooó!
Porém (continuando a ladainha), capa é uma coisa. Conteúdo (recheio que é bom) é outra.
E digo mais: li, não me resolvi (e, muito menos, me convenci), porque nem sempre os homens são mais práticos e racionais (robozinhos de carne e osso), enquanto que as mulheres, mais intuitivas e melosinhas. Aliás, odeio (com muita intensidade) designações gerais para definir a complexidade de 2 sexos.
Mulher que é mulher entende perfeitamente que, se homens são de Marte, é pra lá que se vai (quando se tem vontade)…de bolsa cheia e salto alto.

Mulher de verdade sabe que o melhor a se fazer é aproveitar o que a vida lhe oferece de melhor (com eles ou sem eles), sabe bem a hora em que se deve ficar com a companhia das “Claudias”, mas também quando necessita de uns “Claudios” da vida.

Mulher que é mulher de verdade sabe muito bem que a regra “segurança + intimidade + muito diálogo” é falida, porque nenhuma estratégia funciona 100% das vezes.
Mulher de verdade sabe que, às vezes, o melhor mesmo é abolir a “conchinha” da configuração noturna, partir para um “cara a cara”(com uma légua de distância entre uma e outra) e, sem mais nem menos, se entregar a um bom e revigorante cochilo. Pois, há cochilos que salvam relacionamentos. E, se não salvam, ao menos amenizam os males ou, ainda, transferem “a lavação de roupa suja” para um momento mais apropriado (aquele momento em que nos sentimos maravilhosamente preparadas para a guerra, com tudo o que ela tem direito).

Mulher de verdade sabe que, durante “a guerra”, amor não serve para nada e… não garante absolutamente nada. Aliás, como todas as coisas boas (gostosérrimas e inadiáveis) da vida.

Beijos Doces,

Pitanga

Visita básica da Diarista

Facebooktwittergoogle_pluslinkedinrssyoutube

Hummm…..
que porta silenciosa esta.

Abrí e nenhum barulho deu o ar da graça.

Casa cheirosa e com ares de limpeza, física e espiritual.

Acho que não vão assinar a minha carteira logo, afinal prá que serve as moças da limpeza
se a sujeira não se fez presente?
Hahahahahaha.

*

Muito bacana isso da amizade virtual se transformar em coletivo.

Torço por vcs todas
, especialmente por ter feito parte disso,
e ter me afastado,
conscientemente,

antes de fazer cacaquinha.

Hahahahaha.

Achei um texto que eu acredito ser a cara do blog.

Toma lá!

*

Que mulher nunca teve

Um sutiã meio furado,

Um tio meio tarado

Ou um amigo meio viado?
Que mulher nunca temeu

Uma consulta dentaria,

Passar atestado de otaria

Ou a incontinencia urinaria?
Que mulher nunca tomou

Um fora de querer sumir,

Um porre de cair;

Ou um lexotan pra dormir ?
Que mulher nunca sonhou

Com o marido da melhor amiga,

Com a sogra morta, estendida

Ou com uma lipo na barriga ?
Que mulher nunca pensou

Em zunir uma panela,

Jogar os filhos pela janela

Ou que a culpa era toda dela ?
Que mulher nunca penou

Pra ter a perna depilada,

Pra aturar uma empregada

Ou pra trabalhar menstruada ?
Que mulher nunca acordou

Com um desconhecido ao lado,

Com o cabelo desgrenhado

Ou com o travesseiro babado ?
Que mulher nunca comeu

Uma caixa de Bis, por ansiedade,

Uma alface, no almoço, por vaidade

Ou, um canalha por saudade ?
Que mulher nunca apertou

O pé no sapato pra caber,

A barriga pra emagrecer

Ou um fininho pra enlouquecer ?
Que mulher nunca jurou

Que não estava ao telefone,

Que nem pensa em silicone

Ou que “dele” não lembra nem o nome ?
Texto extraído da internet, onde dizem que é do livro: TAPA DE HUMOR NAO DÓI,

que diz ser de um grupo de cinco mulheres. (????)

Hahahahaha.

*

Sorte..

Tudo de melhor prá este cantinho.

Muitos comentários, muitas amizades e muitos aplausos!

Um beijo da amiga faxineira
Dani Faxina.


Mixwit

1 344 345 346 347